terça-feira, 20 de novembro de 2012

Encontro sobre educação ambiental mobiliza professores de Cruzeiro do Oeste


Oficina, organizada pelo Programa de Educação Ambiental que acontece durante a pavimentação da Estrada Boiadeira (BR 487/PR), reuniu cerca de 30 profissionais de educação

Em fevereiro do próximo ano, atividade deve ocorrer com professores de Tuneiras do Oeste

Professores da rede pública de ensino de Cruzeiro do Oeste, na região Noroeste do Paraná, participaram, na última quarta-feira (14), da oficina Educação Ambiental, Currículo e Cultura, ministrada pela professora do Departamento de Teoria e Prática de Ensino da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Sônia Haracemiv. A atividade integra o Programa de Educação Ambiental (PEA), que ocorre em paralelo à construção da Estrada Boiadeira (BR 487), obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no trecho entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste, na região Noroeste do Paraná.


Durante o encontro, os professores foram divididos em 11 grupos, cada um deles responsável pela avaliação de uma figura ligada à temática ambiental. Os participantes receberam ainda um disco com músicas relacionadas ao meio ambiente. A proposta foi conciliar as imagens com trechos das letras das canções. Depois, os professores escreveram um texto expondo possíveis impactos positivos e negativos decorrentes do empreendimento. Num terceiro momento, houve uma discussão em torno da Estrada Boiadeira, com ênfase no diálogo sobre as formas de lidar com a construção da rodovia. Por fim, a professora trabalhou formas de repensar as questões do meio ambiente e ainda exibiu o curta-metragem Ilha das Flores, que discute, entre outros assuntos, temas como consumo consciente e produção de lixo.

Segundo a professora Sônia Haracemiv, a oficina trouxe depoimentos significativos por parte dos professores. “Houve uma participação intensa, os depoimentos foram significativos e foi possível perceber que os professores são incrédulos em relação à conclusão da rodovia. Por isso, utilizamos uma abordagem dialógica, com base nos estudos de Paulo Freire, na qual os professores problematizaram vários temas, como atropelamento de fauna, responsabilidade social, tráfico e caça de animais silvestres, educação ambiental como vida, e na sequência discutimos esses assuntos”.

Para o professor Eurico José Pinto, de 48 anos, que trabalha na Escola Municipal de Educação Integral Tasso da Silveira, o encontro conseguiu reunir o ensino teórico à prática. “Essa oficina muda o rumo da nossa história como atores sociais, porque a partir de agora vamos poder conversar sobre meio ambiente tanto nas comunidades como nas salas de aula. É um importante trabalho e creio que o aprendizado será para a vida toda”, acredita o professor.

Já para a professora de história e geografia da Escola Municipal Professora Rosimeri Ortiz Consalter Abiuza Madeira, de 24 anos, o encontro trouxe elementos interessantes da relação da Estrada Boiadeira com a comunidade de Cruzeiro do Oeste.

“A rodovia vai melhorar o desenvolvimento econômico da nossa cidade. Qualquer grande obra impacta o meio ambiente e traz pontos negativos, então, por conta disso, as ações de educação ambiental são fundamentais”, diz a professora.

Reserva Biológica das Perobas
De acordo com o analista ambiental e chefe de Reserva Biológica das Perobas, Carlos Alberto Ferraresi De Giovanni, que na oportunidade pôde apresentar aos professores de Cruzeiro do Oeste a unidade de conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, autarquia federal do Ministério do Meio Ambiente, a oficina trabalhou uma abordagem ambiental distinta das convencionais.

“Houve uma preocupação em fazer os professores se reconhecerem como participantes. Geralmente, os temas que envolvem educação ambiental sempre chamam a atenção de todos, mas é muito comum a população apenas reclamar. Essa oficina, pelo contrário, resgata o princípio de que todos integram o meio ambiente e, por isso, são responsáveis pela conservação”, explica o chefe da Reserva.

Além disso, o analista ambiental também apresentou o Instituto e a Reserva, que é a maior área com vegetação natural das regiões Norte e Noroeste do Paraná, aos professores.

“Como Cruzeiro do Oeste faz parte do eixo da Estrada Boiadeira, o acesso entre as duas cidades vai ficar bem mais fácil e as cidades irão se aproximar. Com isso, a Reserva tem que procurar ampliar o máximo possível os trabalhos com educação ambiental para outros municípios. Como só se ama aquilo que se conhece, quanto mais pessoas conhecerem a reserva, mais a proteção da unidade aumenta”, complementa.

Obra
A pavimentação dos 18,7 quilômetros da Estrada Boiadeira (BR 487), entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste, está prevista para ser finalizada em maio de 2013. A supervisão e a gestão ambiental são de responsabilidade da Universidade Federal do Paraná que, por meio do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura, é parceira do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Hendryo André
Assessoria de comunicação
ITTI – Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura
(41) 3226-6658

Nenhum comentário:

Postar um comentário