quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Em Cruzeiro do Oeste, recicladores recebem oficina sobre meio ambiente

Atividade integra projeto socioambiental que acontece durante a pavimentação da Estrada Boiadeira (BR 487), entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste

Profissionais que trabalham com a coleta de materiais recicláveis em Cruzeiro do Oeste, na região Noroeste do Paraná, assistiram na manhã da última sexta-feira (26) a oficina Reciclagem e a Natureza, realizada no anfiteatro da Secretaria de Educação do município. Os participantes pertencem à Associação de Materiais Recicláveis de Cruzeiro do Oeste, cooperativa que, desde 2005, busca oferecer condições de trabalho mais favoráveis aos recicladores associados do Projeto Barracão.

 



A atividade foi desenvolvida pelo projeto “Estrada Boiadeira – sonho que se realiza”, responsável pela série de programas socioambientais que são executados durante a pavimentação do trecho de 18,72 quilômetros entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste. A gestão e supervisão ambiental da obra é fruto de uma parceria entre o Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura da Universidade Federal do Paraná (ITTI-UFPR) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Durante o encontro, os integrantes discutiram a relevância da reciclagem, a relação entre o ser humano e o meio ambiente, alguns aspectos do consumo e da produção de lixo, bem como a função dos recicladores para a manutenção da limpeza do município.

“A industrialização cria necessidades de consumo cada vez mais sofisticadas, principalmente por meio da publicidade. Assim se descartam muitos bens que se transformam em lixo, gerando problemas para o meio ambiente. Nesse cenário surge o papel dos recicladores como importantes atores sociais, já que eles são responsáveis pela separação do lixo reciclável e promovem a remoção e destinação dos resíduos, ao mesmo tempo em que geram renda familiar”, explica a socióloga e palestrante da oficina, Izabel Liviski.

A socióloga reuniu uma série de imagens ligadas à temática ambiental e dividiu os trabalhadores em grupos menores, cada um deles responsável pela interpretação de uma imagem específica. O objetivo foi que os participantes pudessem ter subsídios para pensar sobre a produção e distribuição de bens sociais, a relação disso com o setor de publicidade e a decorrente produção de lixo.

“Com isso, pudemos analisar a importância da preservação ambiental e avaliar o papel da reciclagem nesse contexto, além de auxiliar no desenvolvimento de uma consciência cidadã a partir da valorização do papel desempenhado pelos profissionais de reciclagem”, complementa a palestrante ao falar sobre o uso de imagens como recurso didático.

Para José Vicente da Silva, de 65 anos, que trabalha com a coleta de materiais recicláveis há um ano, quando foi demitido de um grande frigorífico da região, a oficina foi proveitosa, principalmente no que se refere à função ocupada pelos recicladores.

“Aprendi mais ainda sobre como nossa profissão é importante para a sociedade. Ela não é importante só para nós, mas para todo mundo”, diz o reciclador.

Já segundo Maria Aparecida do Nascimento, de 53 anos, que trabalha há quatro meses como recicladora, é importante participar de atividades ligadas à preservação da natureza. No entanto, ela acredita que campanhas de educação ambiental devam ser realizadas também com o restante da população do município.

“Se a cidade ajudasse, separando o lixo e doando para a gente, a gente ia dobrar a quantidade de lixo recolhido. Quando participo de uma aula como essa, aprendo para mim e para os outros. Se eu tiver chance [de assistir outras oficinas] vou aprender mais”, conta Maria Aparecida.

De acordo com o integrante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente Thiago Silva Souza, que acompanhou a oficina, a ideia da atividade foi bem recebida, já que algumas limitações impedem trabalhos diretos com a comunidade.

“Ficamos contentes com a possibilidade de sermos parceiros em ações de educação ambiental voltadas para os trabalhadores de materiais recicláveis da Associação. É bem difícil conseguirmos desenvolver projetos semelhantes, por problemas de recursos financeiros e humanos”, destaca o integrante da Secretaria.


PEA
A oficina é uma atividade do Programa de Educação Ambiental (PEA), um dos cinco programas socioambientais que acontecem durante a pavimentação da Estrada Boiadeira, no trecho entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste. O PEA visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida e para a sustentabilidade a partir de estratégias de sensibilização, conscientização e incorporação de práticas de educação ambiental no cotidiano.


Hendryo André
Assessoria de comunicação
ITTI – Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura
(41) 3226-6658 | comunicacao@itti.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário