quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Oficina de educação ambiental reúne trabalhadores responsáveis pela construção da Estrada da Boiadeira

Ação, que reuniu mais de 60 trabalhadores, integra Programa de Educação Ambiental que ocorre durante a gestão ambiental da Estrada da Boiadeira

Oficina com trabalhadores abre cronograma de atividades do Programa de Educação Ambiental na região

Mais de 60 funcionários que trabalham na construção da Estrada da Boiadeira, no trecho entre Tuneiras do Oeste e Cruzeiro do Oeste, participaram na manhã da última quinta-feira (13) de uma oficina sobre educação ambiental, ministrada pela professora do Departamento de Teoria e Prática de Ensino da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Sônia Haracemiv.

A atividade integra o Programa de Educação Ambiental (PEA), que ocorre em paralelo à construção da Estrada da Boideira (BR 487/PR), obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no trecho entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste, na região Noroeste do Paraná.

Como, historicamente, há grande fluxo migratório em grandes obras de infraestrutura, um dos temas abordados foi a valorização da região de origem de cada trabalhador.

“A educação ambiental deve ser pensada como uma relação entre o ser humano e a natureza. Por isso, é fundamental que cada um de vocês [trabalhadores] valorize a região onde nasceram e criaram raízes. Fico feliz por existirem vários paranaenses trabalhando pelo próprio estado. É importante ter cuidado com a origem dos trabalhadores”, destacou a professora Sônia.

Foram formados 14 grupos e cada um deles trabalhou com uma imagem relacionada à harmonia entre o ser humano e a natureza. Os grupos interpretaram as imagens e apresentaram aos demais.

Um dos momentos marcantes da oficina foi quando um dos trabalhadores alertou que o ser humano não se constrói sozinho, mas a partir da união, princípio defendido pelo educador Paulo Freire.

“O aprendizado ao longo da vida é aprender cada dia mais um pouco. Cuidando da natureza e preservando. Não só as reservas, mas todos os locais onde estamos, em nossas casas e em nossos trabalhos. Vivendo e aprendendo cada dia mais um pouco”, descreveram os integrantes de um dos grupos.

Foram ainda discutidos temas como a preservação da água, a biodiversidade, a harmonia e a destinação de resíduos sólidos.

De acordo com a faxineira Ester de Lima de Farias, de 29 anos, que trabalha no canteiro de obra da empresa que executa a pavimentação da estrada, a oficina despertou a consciência dos trabalhadores.

“Escutei muitos assuntos novos hoje aqui. Quanto mais participamos de oficinas assim, mais coisas novas aprendemos. Acho que essa oficina contribuiu para nos provocar a pensar sobre alguns assuntos que jamais pensamos”, conta o motorista.

Natural de Tuneiras do Oeste, o apontador Josafá Zubik, de 43 anos, destacou que a oficina fugiu de assuntos convencionais, como a correta destinação de resíduos sólidos. “Em toda obra onde trabalhamos aprendemos sobre a destinação de resíduos produzidos no trabalho, mas nesta oficina aprendemos educação ambiental, sobre a nossa relação com a nossa terra”, alega.

Para a professora Sônia Haracemiv, ministrante da oficina, o encontro superou qualquer expectativa previamente pensada por ela.

“Fiquei, ao mesmo tempo, impressionada e feliz com o nível de interpretação dos trabalhadores da Estrada da Boiadeira. A ecopercepção deles é maravilhosa, pois o saber deles é de vida”, finaliza.

Obra
A construção dos 18,7 quilômetros da Estrada da Boiadeira (BR 487/PR), entre Cruzeiro do Oeste e Tuneiras do Oeste, está prevista para ser finalizada em maio de 2013. A gestão ambiental é responsabilidade da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que, por meio do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), é parceira do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

PEA
O Programa de Educação Ambiental é um dos cinco programas socioambientais que integram a gestão ambiental da Estrada da Boiadeira e tem como objetivo fornecer subsídios teóricos e práticos à comunidade em geral, aos trabalhadores da obra e aos profissionais da educação. Para possibilitar a conscientização ambiental de todos os envolvidos busca-se desenvolver uma capacitação continuada, instigando junto aos públicos um permanente processo de reflexão, autoanálise, mudança de atitudes e de valores, bem como a incorporação de práticas de educação ambiental no cotidiano dessas pessoas.

Hendryo André
Assessoria de Comunicação
ITTI – Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura
(41) 3226-6658 | comunicação@itti.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário